O que acontece com seu cérebro durante o Reiki

Uma pesquisa realizada pelo Dr. Robert Becker e Dr. Jonh Zimmerman, na década de 1980, investigou os efeitos que algumas terapias, como Reiki, causam nas pessoas enquanto praticam.

A investigação revelou que os padrões de ondas cerebrais de praticantes e receptores se tornaram sincronizados no estado Alfa, ou seja, estado de profundo relaxamento e meditação. E o mais surpreendente é que perceberam também que pulsam em uníssono com o campo magnético da Terra, conhecida pela ciência como a Ressonância Schuman – 7.86 Hz.

A investigação revelou que o campo biomagnético das mãos dos praticantes é 1000 vezes maior do que o normal, e não como um resultado da corrente interna do corpo.

Toni Bunnell (1997) sugere que a ligação dos campos de energia entre o profissional e a frequência do campo eletromagnético da terra permite ao praticante canalizar essa vibração, através da ressonância Schuman.

O Prof. Paul Davies e Dr. John Gribben em “O Mito Matéria” (1991), discutiram este tema ligado ao conceito de quantum e visão física de um “universo vivo” em que tudo está conectado em uma teia de interdependência energética”. Tudo isso promove a experiência subjetiva de “unidade” e “expansão de consciência” relacionado por aqueles que recebem o Reiki regularmente ou até mesmo fazem o autotratamento.

Zimmerman (1990), nos EUA, e Seto (1992), no Japão, investigaram a pulsação do campo biomagnético que é emitido das mãos de praticantes de Reiki, enquanto estes estavam aplicando em seus pacientes. Eles descobriram que os pulsos estão nas mesmas frequências, como as ondas cerebrais, de 0,3-30 Hz, com foco principalmente em 7 – 8 Hz, estado alfa.

Uma investigação médica independente, demonstrou que esta gama de frequências estimulava a cicatrização no corpo, com frequências específicas sendo adequados para diferentes tecidos.

Por exemplo, 2 Hz encoraja a regeneração do nervo e o o crescimento ósseo, 7 Hz, na reparação de ligamento 10Hz e 15 Hz formação capilar.

Com base nesses princípios, a tecnologia ultra-som é comumente usada para limpar artérias obstruídas e desintegrar pedras nos rins. Além disso, tem sido conhecida há muitos anos que a colocação de uma bobina elétrica em torno de uma fratura que se recusa a consertar vai estimular o crescimento ósseo e reparação.

Becker explica que ‘ondas cerebrais’ não estão confinadas ao cérebro, mas circulam por todo o corpo através do sistema perineural, as bainhas de tecido conjuntivo envolvendo todos os nervos.

Durante o tratamento, estas ondas emitem pulsos no tálamo do cérebro do praticante, reunindo forças cumulativas que fluem para os nervos periféricos do corpo, incluindo as mãos.

O mesmo efeito se reflete na pessoa ao receber o tratamento e Becker sugere que é este sistema, mais do que qualquer outro, que regulamenta a reparação de lesões e reequilíbrio dos sistemas biológicos do corpo. Isso destaca uma das características especiais do Reiki (e terapias similares) – que tanto o profissional e o cliente recebem os benefícios de um tratamento, o que torna muito eficiente.

Além disso, parte da popularidade crescente do Reiki é que ele não impõe um conjunto de crenças, e pode, portanto, ser usado por pessoas de todas as crenças religiosas e filosofias. Esta neutralidade o torna particularmente apropriado para um ambiente de tratamento médico-psicológico.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Fonte: Greice Peplau

MUDANÇAS

A PÁGINA ESTÁ PASSANDO POR MUDANÇAS E PODE SER QUE ALGUMA PÁGINA NÃO ESTEJA FUNCIONANDO DIREITO. Agradeço a compreenção! Namastê!

Mantras, Decretos e Meditações de Cura

 

ORAÇÃO DE CURA XAMÂNICA

“Energia da Luz, acalme meus medos e apague TODO mecanismo de controle externo que possa interferir nesta cura. Energia Guia Guardiã, proteja minha aura e ative o Canal de Luz para os propósitos de minha cura, para que só Energias Evolutivas possam fluir em mim.

Não se poderá fazer outro uso deste Canal que não seja para o Fluxo de Energias Divinas. Mestres, selem e protejam esta sagrada experiência; removam de meu espaço interior e de meu espaço exterior qualquer força que não seja de natureza Amorosa; removam e dissolvam todos e cada um dos implantes e suas energias semeadas, parasitas, armas espirituais e dispositivos de limitação auto-impostos, conhecidos e desconhecidos.

Determino a completa restauração e reparação do Campo de Energia Original infundido na Energia da Luz. Eu, ser manifestado na espécie humana, consciente nesta encarnação, aqui revogo e renuncio a todos e cada um dos compromissos de fidelidade, votos, acordos ou contratos de associação que já não sirvam ao meu Bem Mais Elevado nesta vida, vidas passadas, vidas simultâneas, em todas as dimensões, períodos de tempo e localizações.

Determino a todas as entidades que estão ligadas com esses contratos, organizações e associações, que cessem, desistam e abandonem meu Campo de Energia agora e para sempre, e em forma retroativa, levando seus artefatos, dispositivos e energias semeadas. Para assegurar isto, que o Sagrado Espírito das visíveis e invisíveis Testemunhas da Luz, sintam a dissolução de todos os contratos, dispositivos e energias semeadas que não honram a Sabedoria e a Verdade Divina.

Declaro isto agora, adiante e retroativamente. Garanto minha aliança com a Essência Pura através do Campo de Luz e dedico meu Ser Inteiro – físico, mental, emocional e espiritual – à Vibração do Amor, desde este momento em diante e em retroativo.

Dedico minha Vida ao Serviço do Bem, da Paz, da Luz e do Amor. Dedico meu Ser a mais Elevada Maestria em Mim e ao Pleno Caminho da Ascensão, também planetária e de todos os orbes, humanidades e espécies. Havendo conscientemente evocado esta Cura, abro-me à orientação da Energia Guia Guardiã para que inspire e sinalize as mudanças em minha vida que acomodem esta nova dedicação.

Que seja escrito no Livro da Vida. Livre e Consciente. Que assim seja, e permaneça. Ao Universo e a cada Ser nele contido, a todos os lugares onde tenha estado, experiências das quais tenha participado e a todos os seres alcançados com esta Cura, agora conhecidos ou desconhecidos de mim, digo: Qualquer coisa que se mantenha entre nós eu agora curo, liberto e perdoo. Santos Espíritos, Raios e Chamas, guiem, encontrem, firmem, testemunhem e validem o Poder e Livramento desta Cura.

Eu perdoo os irmãos e irmãs de todos os reinos e espécies, dessa e de todas as outras vidas, por tudo o que necessite ser perdoado e libertado entre nós. Ofereço-me para o perdão dos irmãos e irmãs de todos os reinos e espécies, dessa e de todas as outras vidas, por tudo o que necessite ser perdoado e libertado entre nós. Eu me perdoo e me livro. Uno-me ao meu Ser Interior, Fundamental, Essencial. Chama que Tudo Restaura e Transmuta, toque com o Tom Violeta as Divinas Energias em mim, agora em Estado Consciente e Purificado. Uma vez que estas energias regressaram a mim, determino que sejam consagrados à Força e à Luz todos os meus Sentidos, Percepções e Canais. Energia da Luz, me ilumine nas trilhas e cadeias da dúvida e da dualidade.

Determino que o Selo do Amor seja colocado sobre mim, e que seja trazido a mim, a Alma de minha Alma, Ser do meu Ser, para que possamos caminhar juntos nesta Jornada Terrena, em prol do Amor Incondicional que vem diretamente do Criador. Que desde já, a Alma da minha Alma seja tocada no coração e receba esta mensagem dentro de seu Espírito, que se conecte a mim, apagando todos os empecilhos que possam atrapalhar o nosso encontro. Santos Espíritos, testemunhem meu Intento, me inspirem e guiem.

Energia Guia Guardiã, esteja Viva e Una comigo e me proteja das influências que me impedem de fazer a Vontade Maior. Coletivamente curados, livres e perdoados. Elevados a nossos Seres Essenciais. Plenos de Amor. Plenos da Força e da Luz do Amor. Graça e Luz aos Mestres, aos Sábios, aos Santos, aos Puros e Bons. Graça e Luz aos aprendizes. Bem às Hierarquias da Força e da Luz, às Hostes Angelicais, aos Seres da Natureza, às Espécies e aos Reinos. Bem ao Plano Evolutivo, de todos e de UM…”

Autor(a) desconhecido(a)

Música Xamânica com a Oração para ler:

Profissional Autônomo, Liberal, MEI e ME – Qual categoria escolher?

Atualmente, vem crescendo o número de pessoas que querem empreender ou trabalhar por conta própria no país.

Atualmente, vem crescendo o número de pessoas que querem empreender ou trabalhar por conta própria no país. Assim, esses profissionais podem aderir a algumas categorias profissionais como Profissional autônomo, Profissional Liberal, Microempreendedor Individual (MEI) ou microempreendedor (ME). Estas categorias são adequadas para aqueles que pretendem executar suas atividades de forma livre e se tornar independentes financeiramente.

Dessa forma, passaremos a descrever algumas das características específicas de cada uma dessas categorias, visto que há certas distinções que podem fazer diferença quando for escolher sua categoria, como observar as funções e atividades, pagar os impostos e empreender os negócios.

Profissional Autônomo

A profissão do autônomo está regulada pelo artigo 12, inciso V, alínea h da Lei 8.212 de 1991, que diz ser a pessoa física que exerce, por conta própria, atividade econômica de natureza urbana, com fins lucrativos ou não.

Em outras palavras, o profissional autônomo é aquele que não está subordinado ao poder de direção do contratante, possuindo independência para desempenhar as suas atividades, podendo oferecer seus serviços para mais de uma empresa ao mesmo tempo, ou seja, a sua espécie de trabalho tem caráter de não subordinação em relação à parte contratante, podendo exercer livremente suas atividades nos horários que lhe convier ou nos moldes de seu contrato.

Destaca-se que para ser um profissional autônomo, não é preciso ter qualificação específica, seja técnica ou universitária.

No entanto, como esse profissional não é empregado, não possui direitos trabalhistas como férias ou décimo terceiro salário. Além disso, para ter acesso aos benefícios previdenciários, como aposentadoria, ele mesmo é quem deve fazer suas contribuições mensais ao INSS, na categoria de contribuinte individual.

Além de contribuir para a previdência social, o autônomo também precisa pagar o Imposto Sobre Serviços (ISS) e, caso o profissional constitua uma pessoa jurídica, há também o pagamento de impostos como Cofins, PIS e CSLL.

Profissional Liberal

De forma diversa ao autônomo, o profissional liberal precisa ter qualificações e certificações, são exemplos os advogados, jornalistas, professores, médicos.

Esses profissionais podem ter vínculos empregatícios com uma ou mais empresas, podendo ter carteira assinada, tornando-se empregado, ou constituindo uma empresa e trabalhando por conta própria.

Geralmente, o profissional liberal possui registro em conselhos e pode ser sindicalizado, devendo pagar tributos anualmente para exercer suas atividades, sendo eles imposto de Renda, como pessoa física ou jurídica, INSS (contribuinte individual), PIS e ISS.

Ademais, sendo este profissional registrado em conselhos e sindicatos, deve pagar as taxas desses órgãos.

Microempreendedor Individual (MEI)

O microempreendedor individual (MEI) é um pequeno empresário, sua profissão é regulada pela Lei Complementar número 128 de dezembro de 2008, ele possui tratamento diferenciado e vários benefícios.

Para se incluir neste grupo, há alguns requisitos, pois é necessário ter uma receita bruta de até R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) por ano e não ter sócio ou ser titular de alguma empresa, além disso, só é permitido ao MEI contratar um único funcionário para os seus negócios.

Em relação aos impostos, o microempreendedor individual está isento de tributos como PIS, Cofins, IPI e CSLL. Segundo o portal do Empreendedor, após a formalização, serão cobrados do MEI apenas valores simbólicos para o Município (R$ 5,00 de ISS) e para o Estado (R$ 1,00 de ICMS). Já o INSS será reduzido a 5% do salário mínimo (R$ 44,00). Com isso, o MEI terá direito aos benefícios previdenciários. O vencimento dos impostos é até o dia 20 de cada mês, passando para o dia útil seguinte caso incida em final de semana ou feriado.

Microempreendedor (ME)

Nesta categoria, o microempresário deverá atuar como pessoa jurídica, ou seja, é necessário constituir uma empresa. No entanto, essa empresa não poderá ultrapassar a renda de R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) por ano, e poderá ter, no máximo, nove funcionários (no caso de comércio e serviços) e até 19 empregados (no caso de indústrias e construção civil).

Aqui, o microempresário precisa pagar sua previdência na categoria de contribuinte individual e a de seus funcionários, devendo também declarar sua renda.

A tributação se dá, basicamente, da mesma forma que os profissionais autônomos e liberais, no entanto, devem ser feitos como pessoa jurídica, entrando nessa lista IRPJ (Imposto de Renda para Pessoas Jurídicas), IPI, ICMS, Cofins, PIS, CSLL, etc, podendo reunir grande parte de seus impostos em um único sistema, optando pelo Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuição de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o Simples Nacional.

Expostas as especificidades de cada categoria, o profissional individual poderá optar por aquela que mais lhe convier e se encaixar em suas condições de atividades.

Autor: Alberto Neto e Andressa Fernandes Fonte: Contabilidade na TVLink: http://contabilidadenatv.blogspot.com.br/2016/06/profissional-autonomo-liberal-mei-e-me.html

Reiki e as Leis – Por: Johnny De’Carli

 

Texto retirado integralmente do livro: “Reiki Apostilas Oficiais” capítulo 32, pag. 425, de Johnny De’ Carlli. Cuidados que devemos ter ao atender pessoas. (Alguns negritos e sublinhados foram feitos por mim-Cris Quadros)

O Ministério do Trabalho reconheceu o Reiki como profissão isolada. Ele foi enquadrado dentro das atividades de práticas integrativas e complementares em saúde humana, recebendo o código 8690-9/01 da CONCLA (Comissão Nacional de Classificação), órgão responsável pela classificação de profissões e ligado ao Ministério do Trabalho e ao IBGE. Esta é uma grande conquista para todos os terapeutas em Reiki no Brasil, já que sua profissão começa a ser reconhecida oficialmente (para fins de pagamento de impostos). Para maiores informações, deve-se acessar: http://www.cnae.ibge.gov.br e digitar o código 8690-9/01 no campo de busca.

Todo Reikiano que estabelece um espaço de atendimento, mesmo que seja em sua residência, necessita de inscrição como autônomo, empresa e/ou firma individual, conforme seja o caso. Isto é essencial para uma qualificação profissional segura do reikiano. A Prefeitura do Rio de Janeiro, cidade onde atuo, dispensa de inscrições somente os autônomos não estabelecidos, ou seja, quem atende de casa em casa, no domicílio dos clientes. Diz a Bíblia Sagrada: “Quem caminha na integridade caminha segura, quem segue um caminho torto é descoberto” (Pr. 10,9). Quem trabalha sem alvará é tido como clandestino e, como tal, fica sem defesa perante qualquer tipo de fiscalização. Além disso, desperdiça a oportunidade de ter um documento oficial que ateste sua atividade profissional, fator que conta muito – se tiver, um dia, algum tipo de problema judicial – para defender seus direitos na condição de terapeuta holístico. Essa palavra, que vem do grego holos – totalidade – torna muito ampla a gama de possibilidades de atuação profissional. Municípios de todo o Brasil, de forma majoritária, acatam a categoria de terapeuta holístico para inscrição como profissional autônomo, pois, afinal, serviços formalmente registrados representam entre outras coisas, mais impostos entrando nos cofres públicos. No Rio de Janeiro, a Prefeitura inscreve os reikianos no código de atividade 229822 (terapeuta holístico). Algumas cidades ainda não possuem esse código e é impossível obrigar uma prefeitura para criar um código específico para terapeuta holístico, é preciso contar com o bom senso da administração pública.

Para facilitar, anexo a seguir, a titulo ilustrativo e para que sirva como modelo, cópia de minhas inscrições como terapeuta holístico (porque aplico Reiki). Nas cidades que ainda não aderiram a melhor e mais rápida alternativa é a abertura de firma individual, uma saída eficiente e barata. Como as condições de abertura variam em cada cidade, será fundamental encontrar um contador experiente em sua própria região. Ao preencher a Declaração de Firma Individual, tome cuidado para escolher um nome comercial que não pareça com nome fantasia de farmácia ou de consultório médio. Use, por exemplo: “FULANO DE TAL – Terapia Holística M.E.”. No campo objeto/atividade econômica, preencha com o máximo de detalhes.

Por exemplo: “PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E ORIENTAÇÃO EM TERAPIA HOLÍSTICA, TAIS COMO: REIKI, SHIATSU, FLORAIS, MASSOTERAPIA E SIMILARES”. As técnicas citadas são meramente ilustrativas. Cada um pode adaptar essa lista atendo-se às técnicas que realmente use ou pretenda vir a usar. Se a empresa pretende crescer, talvez o ideal seja abrir uma sociedade civil com fins lucrativos. Nesse caso, é preciso ter pelo menos um sócio, registrar o contrato social e tirar o CNPJ junto à Receita Federal e o DIF – Documento de Identificação Fiscal junto à Secretaria de Fazenda e Planejamento. A razão seria, por exemplo: “Centro de Atendimento de Terapia Reiki FULANO DE TAL S/C Ltda”. Tipo de Contribuinte: Sociedade por Quota de Responsabilidade Limitada. O alvará de funcionamento deverá ser obtido junto à Divisão Regional de Licenciamento/Serviço de Licenciamento de Atividades Econômicas. Não se preocupe! Para um contador experiente, isto será fácil.

Muitos terapeutas holísticos, orientados erroneamente por contadores inexperientes, são registrados como terapeutas ocupacionais. Ignorando ser essa expressão definida e limitada por lei federal, acabam utilizando códigos privativos dessas profissões na hora de abrirem suas inscrições como autônomos. Colocam-se, assim, em situação de serem acusados de exercício ilegal de profissão, pois tais expressões são prerrogativas de quem estiver devidamente inscrito junto ao CREFITO (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional).

O reikiano não precisa de alvará da Vigilância Sanitária para trabalhar. A Vigilância Sanitária é extremamente rigorosa em todo o país. Portanto, se estiver pretendendo trabalhar utilizando também a Fitoterapia e, por exemplo, vender os produtos que vier a recomendar, não convém fazê-lo. A Vigilância Sanitária considera antiético este tipo de atitude e tudo fará para fechar o local. Por este mesmo motivo, para não ser tentado a receitar cada vez mais medicamentos, não pode ser dono de farmácia, já que teria lucros na venda dos mesmos. É claro que algumas pessoas poderão fazer uso de artifícios do tipo: o médico tem seu consultório montado num local e a esposa tem uma farmácia montada em outro e ele recomenda aos seus pacientes que comprem lá. Convenhamos, é um assunto muito polêmico, razão pela qual não recomendo a ninguém que monte seu espaço de atendimento junto a um ponto de produtos naturalistas.

A atividade profissional de reikiano requer uma série de cuidados. Se um bacharel em Direito ou um médico, que não tenham feito o doutorado, são chamados de doutor, ninguém se sente lesado. Se um reikiano aceitar ser tratado como doutor, em pouco tempo, é acusado de falsidade ideológica. Caso a pessoa atendida pelo reikiano esteja tomando algum medicamento, a decisão de suspender ou de continuar a usá-lo compete exclusivamente, ao médico que o receitou, e não ao reikiano. Este, no máximo, poderá recomendar o acréscimo de algum produto natural como um floral, por exemplo, complementando seu trabalho. É vedado ao reikiano, por lei, intervir nos tratamentos de saúde de outros profissionais. Tais tratamentos não devem ser interrompidos. Lembre-se de que o Reiki não tem contra-indicações e é compatível com qualquer outra forma de tratamento.

Outro aspecto importante a abordar é o perigo de usar expressões definidas por lei, tanto por escrito quanto verbalmente, como, por exemplo, as palavras: paciente, tratamento, clínica, medicina e médico. Um reikiano jamais receita, mas recomenda. Nunca diagnostica, mas avalia, analisa. Jamais fala em doenças, mas sim em disfunções, em desequilíbrios energéticos, em predisposições. Da mesma forma, jamais usa medicamentos (o que pressupõe, pela própria gênese da palavra, a existência de um médico), mas pode recomendar florais, essências, extratos.

 Muitos reikianos estudaram especialidades técnicas em outros países, e de forma ingênua fazem uso das expressões utilizadas em outras línguas, tais como: médico naturista, Medicina Tradicional Chinesa, ignorando que essas expressões são definidas e limitadas no Brasil por lei federal, podendo o reikiano vir a ser acusado de exercício ilegal da Medicina. Muitos reikianos trabalham com florais. Mesmo nesse caso, você não pode prescrever ou receitar, apenas recomendar ou indicar, para harmonizar ou equilibrar. Nunca diagnostique doenças, isso é prerrogativa médica. Jamais o reikiano deve alegar ter prescrito qualquer coisa para tratar alguma doença (esta conduta é prerrogativa da classe médica). Deve, sim, afirmar que fez uma recomendação para harmonizar e equilibrar desequilíbrios energéticos, disfunções.

O reikiano não abre uma clinica de Reiki e sim um centro, núcleo ou espaço de Reiki. Dessa forma, você não corre o risco de ser enquadrado pelas Promotorias Públicas de Justiça em crime de charlatanismo ou curandeirismo, passível de prisão. As leis brasileiras são claras quando tratam de charlatanismo… ”inculcar ou anunciar cura por meio secreto (o grifo é nosso) ou infalível”. Um reikiano que ainda insista em trabalhar com os símbolos, que pertencem a toda a humanidade, como secretos sujeitar-se-ia a ser enquadrado em crime de charlatanismo, caso fosse denunciado por um cliente com más intenções.

Nesse sentido, devemos aproveitar para alertar aos profissionais que, no Brasil, não devemos usar a expressão Cura Prânica (técnica desenvolvida pelo competente Mestre filipino Choa Kok Sui, parecida com o Nível I do Reiki), pois a palavra cura indevidamente empregada é considerada, por muitos juristas, crime, ou seja: se uma pessoa mal intencionada quiser prejudicar aqueles que trabalham com Cura Prânica, bastará ir à delegacia de policia mais próxima registrar queixa. Deve-se usar o termo Terapia Prânica, para evitarmos problemas.

Se o reikiano faz uso complementar de técnicas corporais, jamais deverá chamar esse trabalho de massagem, não só pelo sentido pejorativo que a confusão com a prostituição trouxe à palavra, como também pelo fato de que estaria sendo enquadrado dentro de alguns requisitos impossíveis de serem cumpridos, pois estaria sujeito às diretrizes do DECRETO-LEI 4.113 de 14/02/42. A utilização de medidores de pressão arterial é uma prerrogativa exclusiva do médico, pois as informações a respeito da pressão se estão alta ou baixa, são utilizadas, comumente, para diagnósticos de doenças. Até mesmo farmacêuticos já foram processados por exercício ilegal da Medicina pelo simples fato de terem medido a pressão de seus clientes. Quem atua em atendimento com Reiki deve ter todo o cuidado. Daí a inconveniência de realizar medições de pressão, pois este simples ato, durante o atendimento com o Reiki, pode ser usado contra você.

Não existe qualquer impedimento legal ao uso de equipamentos como máquina Kirlian, equipamentos radiestésicos, radiônicos e iridológicos em complemento ao trabalho com o Reiki. Desde que, é claro, jamais sejam utilizados para diagnóstico ou tratamento de doenças. Só os utilize para avaliar e tratar desequilíbrios energéticos.

Reikianos são terapeutas holísticos que, registrados nas prefeituras como autônomos, podem emitir recibos, com texto do tipo: Recebi de Fulano de Tal, R$ xx,xx, referente a serviços prestados em atendimento com a técnica Reiki de terapia holística”. Os mesmos podem ser feitos em recibos de autônomo, chamados de RPA, e vendidos nas boas papelarias. Quando o profissional opta por abrir uma empresa, aí ela emite notas fiscais de prestação de serviços. O reikiano pode fazer uso, também, de um documento visando atestar o comparecimento de seu cliente ao tratamento, como o texto do tipo: Atesto, para os devidos fins, que Fulano de Tal esteve sob atendimento com a técnica Reiki de terapia holística, no dia xx/xx/xx, das xx às xx horas”.  É terminantemente vetado ao reikiano, por lei, emitir atestado relativo às doenças.

Vale registrar que inexiste lei que obrigue a empresa onde o cliente trabalha a abonar a falta ou a restituir despesas. Aliás, nem mesmo se fosse o caso de atendimento feito por psicólogos ou médicos, se particulares, tal obrigatoriedade existiria. Muitas organizações aceitam fazê-lo por consideração aos seus funcionários, mas, repito, nenhuma lei as obriga.

O pagamento de imposto de renda para reikianos segue os mesmo requisitos das demais profissões, ou seja: a renda deve ser declarada quando ultrapassar o limite de isenção, cuja tabela é amplamente divulgada todos os anos pela Receita Federal.

Com relação à Previdência Social, a maioria dos pareceres jurídicos afirma que inexiste obrigatoriedade de contribuir para a Previdência, a não ser que se deseje receber aposentadoria por tempo de serviço.

Inexiste qualquer lei que proíba o reikiano de usar roupas brancas, ou que torne as mesmas exclusivas de uma só profissão. Açougueiros, vendedores de sorvetes, pais e mães-de-santo as usam. Muitos médicos já estão deixando, inclusive, de usar o branco por sujar muito. Lembre-se de que na Índia e no Japão os reikianos usam preto, que é a cor que oferece maior proteção aos chakras. Reikiano trabalhe com cautela!

BYOSEN-REIKAN-HO – VARREDURA DA ENERGIA “SCANNER”

Byosen – sentir a energia

Na prática de Reiki é muito comum haver sensações nas palmas das mãos, com o fluir da energia. Essas sensações são representações do estado energético da pessoa que está sendo tratada, quer seja outra pessoa ou quer sejamos nós no auto-tratamento. Nos animais também é possível fazer a leitura, é um pouco mais difícil, mas é possível. A avaliação energética é diferente de um diagnóstico médico e isso o Reikiano não deve fazer.

Essa avaliação energética tem um conjunto de representações às quais o Mestre Usui chamava Byosen, ou “acumulação de doença”. Esta avaliação é resultante das posições que vamos executando ao longo do corpo do receptor (ou do nosso próprio). Hoje em dia aprendemos um protocolo de 12 ou 15 posições de tratamento, que mapeiam a cabeça, articulações e os nossos chakras principais ou glândulas endócrinas. Sabemos que no início, o Mestre Usui ensinava algo bem mais simples – Tratar da cabeça (a fonte de todos os nossos problemas) e depois da zona afetada. No seu novo livro “This is Reiki” (Isto é Reiki – Ed. Pensamento), Frank Arjava Petter entrevista o Mestre Ogawa e uma das questões é precisamente o tratamento a outros:

Arjava Petter: Usa 12 ou 15 posições de mãos que correspondem aos chakras ou glândulas endócrinas, como usamos na tradição ocidental do Reiki? Quanto tempo deixa as mãos em cima ou numa posição em particular? Junta os dedos das mãos? Usa as duas mãos? Esta é a forma como aprendemos Reiki.

Ogawa: Deixamos que o Byosen nos guie e não usamos um tratamento standard. Uma vez que aprendam a escutar o byosen, não há necessidade para um sistema. O mais importante ponto é tratar a cabeça. Por vezes é preferível ficar numa posição por uma hora, por exemplo.

Frank Arjava Petter diz-nos que:

“Os ensinamentos originais não aplicavam nenhum tratamento standard. Usui Sensei como Hayashi Sensei davam manuais aos seus alunos com um guia de tratamento para doenças comuns, mas estes eram para os iniciantes inexperientes. Os praticantes experientes aprendiam uma técnica avançada que é, infelizmente, incomum para nós fora do Japão. De acordo com Chiyoko Sensei, Koyama Sensei e Ogawa Sensei, tanto Usui Sensei como Hayashi Sensei trabalhavam com o que Usui Sensei chamava Byosen… Usui Sensei criou esta palavra de dois Kanji. O primeiro é Byo, que significa doente, doença. O segundo caracter, Sen, significa acumulação, ou bloqueio dos vasos, nos casos da linfa ou do sangue. Juntos (os kanji) descrevem a acumulação ou bloqueio devido a toxinas…”


Os vários tipos de Byosen

Onnetsu 温熱 – Calor/Febre :
Sentimos este calor quando as mãos são colocadas numa zona que esteja rígida, tensa, ou com ligeira deficiência de energia no corpo do receptor. Este calor é ligeiramente superior à temperatura do corpo.

Atsui Onnetsu 熱い温熱
Calor Intenso – a zona necessita de energia. As mãos podem ficar quentes, muito quentes, pode até dar a sensação de que todo o corpo está aquecendo.

Piri Piri Kan ぴりぴり感
Sensação de formigueiro. Se a tensão e rigidez do corpo for mais séria, tem-se a sensação de formigueiro nas palmas e nas pontas dos dedos.

Hibiki 響き– Pulso, Eco
Hibiki é uma sensação tipo “pulso”, que indica que a energia está estimulando os vasos sanguíneos, causando contração e expansão. Neste ponto o sangue começa a circular com maior fluidez. Pode ser algo como uma infecção, cansaço profundo, irritabilidade ou início de algum distúrbio energético na pessoa que poderá originar uma doença física.

Itami 痛み– Dor
Itami e uma sensação de dor nas mãos que nos indica que o estado do Byosen, do receptor é crítico. Quanto mais grave o estado, mais dor pode gerar. A dor pode passar para a parte superior das mãos, pulsos, cotovelos, ombros.

Isto não significa que estamos absorvendo energia negativa do receptor, esse fenômeno não é possível de acontecer com o Reiki, no entanto, devem afastar as mãos de qualquer desconforto, sacudir, verificar a ligação com o Reiki e voltar ao tratamento, por exemplo, começando das extremidades para o centro da questão.

Samui 寒い –  Frio
Bloqueio do chakra, consciente ou inconsciente, pode estar associado a um trauma. (Este byosen não faz parte do conjunto inicial de cinco, no entanto, é uma sensação que por vezes é sentida e como tal deve ser esclarecida).

Fonte:
Frank Arjava Petter
João Magalhães
Cris Quadros (revisão e tradução)

LIMPEZA E HARMONIZAÇÃO DOS CHAKRAS – Método Xamânico

Limpando:

Existe uma prática de limpeza dos Chakras que podemos fazer durante o nosso banho matinal. Nas Montanhas Andinas Peruanas, os Chakras são chamados de Pukios, ou Olhos de Luz, pelos xamãs.

A técnica é bem simples:
a) durante o banho colocamos nossa mão esquerda na base da nossa coluna e a direita a 10 centímetros do 1º Chakra;

b) imagine que uma espiral passa por um túnel de uma mão para outra no sentido horário;

c) depois de 1 minuto, enxague suas mãos eliminando toda energia pesada que estava no seu Chakra;

d) repita em cada um dos outros Chakras, lembrando que a mão esquerda deve permanecer sempre na base da coluna e não esquecendo de enxaguar as mãos após a limpeza de cada um dos Chakras;

e) depois retorne ao 1º Chakra e sinta uma energia fluindo, e vá subindo por cada um deles, caso sinta um entupido, lave-o novamente.

Harmonizando:

Procure um lugar tranqüilo, no qual não possa ser incomodado durante a prática. Ao encontrar o local sente-se numa posição confortável.

Respire sete vezes profundamente e sinta o ar entrar e sair de seu corpo físico.

Coloque suas mãos juntas, palma com palma, no centro do peito. Inspire profundamente, enquanto eleva suas mãos acima da cabeça.

Com as palmas das mãos voltadas uma para a outra, visualize uma luz branca radiante.

Traga-a através do 7º chakra, no topo da cabeça.

Desça com as mãos unidas pela frente dos chakras até o 1º, tocando-o por alguns segundos. A luz branca irá limpar, clarear e ativar o 1º chakra, mantendo-o em conexão com os outros.

Agora eleve as mãos unidas, subindo em frente aos chakras até o alto da cabeça. Repita a mentalização do 1º chakra para os seis restantes.

Termine trazendo as mãos unidas pelo coronário até o chakra do coração. Desta forma, após a limpeza e ativação, alinhamos e unificamos todos os centros espirituais em um só.

Permanecemos assim por alguns minutos, para sentir o esplendor da energia que emana deste chakra, visualizando a luz dourada e dentro dela uma chama de três cores, formada pela luz rosa (do amor), a dourada (do conhecimento) e a azul (do poder) se expandindo por todo seu ser.

Fonte: http://www.xamanismo.com/

Nós Celtas – Escolha um e veja seu significado

Nós Celtas

 Os nós celtas, também chamados Icovellavna, são uma variedade de nós e representações gráficas estilizados dos padrões de nós, utilizados para fins espirituais decoração desde a antiguidade. Curiosamente, vários desenvolvimentos no uso artístico de padrões de nós entrelaçados são encontrados na arquitetura romana e bizantina e na ilustração de livros, na arte copta, na arte celta, na arte islâmica, na ilustração medieval de livros, na arte etíope e nas obras de arte europeias modernas.

Os Nós Mágicos, são uma forma muito antiga de feitiçaria associada ao elemento do ar. O nó representa a continuidade, o fluxo infinito de energia. Como nunca podemos encontrar um começo e o fim de um nó, os Nós celtas representam o último Conhecimento Mágico: o passado, o presente e o futuro são um, é tudo agora! É tudo sobre a percepção. O que percebemos como o passado, existe apenas em nossas mentes como símbolo. É por isso que os Nós celtas também podem ser vistos como Mandalas, a “versão” hindu e budista de Nó celta.

Os Nós celtas podem criar sigilos poderosos com os quais podemos lançar feitiços poderosos. A chave é a sua imaginação e a sua capacidade de criar padrões tão bonitos. Claro que você pode “pegar” pronto e incorporá-los na sua arte. Limpe sua mente, veja os 6  desenhos a seguir, escolha um e veja o que eles representam:

Limpe sua mente, observe os seguintes 6 Nós e escolha aquele que mais lhe chama a atenção:

 

Agora, leia abaixo para ver o seu significado:

  1. A Árvore da Vida

Existe um grande potencial dentro de você. Suas raízes são profundas na Terra e você quer bases sólidas em sua vida. O aterramento será benéfico para você. Quanto mais extrair energia da Terra, mais sintonizado estará o Mundo ao seu redor, e mais vivo sentir-se-á.

Cuide bem de sua espinha e cintura. Conecte-se com a natureza.

  1. O Fogo Interior

Você escolheu o nó celta que representa o fogo e a Fênix, o pássaro de fogo sagrado. Você é uma pessoa muito ambiciosa, cheia de energia e paixão. O fogo queima dentro de você, no entanto, como qualquer pessoa ardente deve saber, não sobrecarregue seu fogo, pois ele queimará rapidamente. Alimente-o gradualmente e verá grandes benefícios em sua vida.

Quanto mais você expressar sua paixão e criatividade, mais completo sentir-se-á em sua vida.

  1. O Grande Dragão

O Espírito da Terra fala com você com uma voz clara. Seja unido com toda a Natureza, e o mundo, dentro e fora. O poder que você mantém é incomensurável e pode trazer grande alegria à sua vida e à vida dos outros. Quando você perceber que a verdadeira força está dentro de si, e que ela vem naturalmente, mais sentir-se-á pronto para mudar as coisas que não gosta. O Grande Dragão fala de conexão com a Natureza e nosso ambiente natural. Você deve passar mais tempo na Natureza, o que o ajudará a cultivar seu poder de uma maneira mais robusta.

  1. O Pentáculo

Você escolheu o grande símbolo de proteção e poder pessoal, o pentáculo. É hora de equilibrar sua vida, tanto o ser espiritual como o físico precisam se unir. Você poderá sentir os benefícios de quaisquer práticas mágicas de proteção e, ao mesmo tempo, toda magia que o ajudará a alcançar seu verdadeiro potencial.

  1. O Nó Felino

Você trabalha com uma sensação de velocidade e agilidade. É uma pessoa flexível, no entanto, ao mesmo tempo, não quer ser perturbado por influências externas que podem tornar-se incômodas. Você tem a grande habilidade de conhecer seu caminho, mesmo que não possa vê-lo. Você gosta de se sentir protegido e cuidado.

Quanto mais você se conhecer, melhor conhecerá o mundo.

  1. A Flor do Sol Divino

Seu coração é um livro aberto. Você irradia uma energia calorosa e amigável. Cuida dos outros, e é uma figura solidária para com todos. Há magia dentro de você e não precisa tentar trazê-la à tona, à força. Sentir-se relaxado é a chave para o seu sucesso. Siga o Sol e você nunca perderá o seu caminho.

Cuide bem dos joelhos, enquanto mantém seu corpo forte. A respiração é essencial para se sentir relaxado e equilibrado.

Traduzido pela equipe de O Segredo e Cris Quadros  Fonte: Mystical Raven – Via: Magical Recipes 

Meditação para Construção do Antakarana

O Antakarana

Adaptação de “Glossário Teosófico” e “Os Raios e as Iniciações”, de Alice Bailey

Um símbolo antiquíssimo de Cura e Meditação que tem sido usado no Tíbet e na China durante milhares de anos. O Antakarana pode ser usado para liberar as energias negativas de pessoas e objetos, bem como purificar cristais.

É um símbolo multidimensional, que atua nos sete planos, fato representado pelos três setes impressos em suas faces. O cubo representa o homem, a personalidade humana e as suas três faces, os três principais cordões/fios que unem o homem ao seu Eu Superior: o fio de Sutratma, o fio da consciência e o fio criador.

 

 

(texto 1)

A palavra Antakarana tem vários significados que diferem em cada seita e escola filosófica. Shankaracharya traduz esta palavra com o sentido de “entendimento”; outros, como “órgão ou instrumento interno, a Alma, formada pelo princípio pensador e o egotismo (ahankara)”; enquanto os ocultistas definem-no como “sendeiro” ou ponte entre o Manas superior e o inferior, o Ego divino e a Alma pessoal do homem. O Antakarana serve como meio de comunicação entre ambos e transmite do Ego inferior para o superior todas as impressões pessoais e pensamentos dos homens que podem, por sua natureza, ser assimilados e retidos pela Entidade imperecível e, portanto, transformados em imortais com ela. Esses são os únicos elementos da Personalidade passageira que sobrevivem à morte e ao tempo. Assim, é lógico que somente aquilo que é nobre, espiritual e divino no homem pode, na Eternidade, testemunhar o fato de ter vivido.

O cordão prateado ou Sutratma é, no que concerne ao homem, de natureza dual. É composto pelo “fio da vida” e pelo “fio da consciência”. O “fio da vida” propriamente dito está ancorado no coração, enquanto que o outro, o “fio da consciência”, encarnando o princípio da consciência, está ancorado na cabeça, e começou a se desenvolver durante o florescimento da raça atlante. A sensibilidade ativa, a percepção, o desejo e a reação diante dos acontecimentos foram o prelúdio da consciência que desabrochava.

Um terceiro fio, o “fio criador” encarna o princípio mental/criador humano, que passou a se manifestar somente com a moderna raça ária. Durante a etapa lemuriana o Sutratma foi o fator dominante de expressão, o enfoque da raça estava em um modo de VIVER pleno e exuberante, porém quase que inconsciente. Segundo Michelle Griffith, o símbolo do Antakarana teria sido criado pelo Conselho dos Mestres da Galáxia e fora trazido à Terra há muitos milhares de anos, durante o período lemuriano.

Os fatores ou princípios internos, Buddhi, Ahankara e Manas, considerados coletivamente, constituem o “órgão interno” (Antakarana) ou Alma, cuja atividade, diferentemente daquela dos sentidos, estende-se não apenas ao presente, mas também ao passado e ao futuro. Os três princípios indicados formam, por assim dizer, os três lados de um triangulo, cuja soma é o Chitta (mente, pensamento, inteligência), com o qual se realiza a ideia da trindade na unidade.

A criação do Antakarana, uma atividade desenvolvida no processo da meditação (principalmente a Raja Yoga), tem como missão fundamental criar uma ponte de “arco-íris” entre a personalidade (eu inferior) do aspirante espiritual e seu Eu transcendente, conhecido esotericamente como “Anjo Solar”. Esta ponte é construída com a energia de luz do propósito espiritual, segregada pela alma do discípulo, de maneira similar à da aranha ao tecer sua teia. O Antakarana liga o cérebro físico ao Eu superior, através do chakra coronário, formando uma ponte a qual é possível à consciência operar com facilidade nos mundos inferior e superior. Este trabalho se acelera na medida em que adquirimos domínio sobre o homem inferior, na medida em que a alma e a personalidade trabalham conjuntamente para criar a “ponte” de ligação entre ambas. Isso só ocorre quando começamos a nos enfocar definidamente nos níveis mentais intenção primordial do trabalho de meditação, quando a mente atua de modo inteligente e conscientemente.

O Sutratma constitui a base da imortalidade, enquanto que o Antakarana, a base da continuidade. O Sutratma vincula e vivifica todas as formas em um todo atuante e incorpora em si a vontade e o propósito da entidade que se expressa, seja ela um homem, um Deus ou um cristal. O Antakarana incorpora a resposta da consciência dentro da forma, até chegar a uma série de contatos, cada vez mais amplos, dentro do todo ambiental.

O Antakarana é um símbolo sagrado de origem tibetana, usado em rituais milenares de cura e meditação. Representa a “ponte” de ligação entre a personalidade e a individualidade, isto é, entre o homem animal e o homem espiritual, que tem que ser construída no decorrer da evolução, para se ter acesso aos reinos da luz. Usado como um símbolo (apesar de não ser um símbolo do Reiki) tem o poder de concentrar e desenvolver a energia Reiki e outras energias de cura, etc. Meditando com esse símbolo, ativa-se automaticamente a Órbita Microcósmica (união dos canais Funcional e Regencial), enviando-se o Ki através dos canais energéticos centrais do corpo.

Não se trata de um dos símbolos perdidos do Reiki, mas sua forma é positiva e sagrada quando em uso. Não se pode utilizá-lo de forma negativa e, mesmo tendo uma história antiga, sua energia tem sido testada por vários agentes de cura durante muitos anos.

Quando colocado sob a mesa de massagem, ele ativa as energias de todos os trabalhos relacionados à cura, seja Reiki, Johrei, Cura Prânica, Shiatsu, etc.

(texto 2)

A construção do Antakarana, ou ponte do arco-íris, é um assunto absolutamente fascinante. Chegará o dia em que a ciência do Antakarana será ensinada em todas as escolas e salas de aula do mundo. Ela é a verdadeira ciência da mente, pois utiliza a substância mental para construir uma ponte entre a personalidade e a alma e, à medida que o ser evolui, entre a alma (Eu Superior, Cristo, Filho de Deus Pai e da Mãe Terra que veio a este planeta com o objetivo de revelar na natureza de Deus que é amor), a Tríade Espiritual e a Mônada (Presença Eu Sou).

A tríade espiritual é o veículo por meio do qual a Mônada trabalha, do mesmo modo que a alma, na Terra, trabalha através da personalidade. A Mônada trabalha através do tríplice veículo composto pela vontade espiritual, pela intuição e pela mente superior. O Antakarana é o fio, e mais tarde o cordão que o discípulo cria pela meditação e compreensão, pelas práticas espirituais e pelo trabalho espiritual específico e dirigido. Nesse processo, o discípulo recebe ajuda da alma e, mais tarde, da Mônada; mas a primeira parte do trabalho tem que ser feita por ele.

A Mônada já tem um fio ou cordão de energia que se estende dela mesma até o chakra do coração do discípulo na Terra. Esse cordão de energia é chamado de sutratama, fio da vida, ou cordão de prata. A alma tem um fio ou cordão, chamado de cordão da consciência, que se estende dela mesma até a glândula pineal do discípulo. O conhecimento usa o cordão da consciência. A energia da sabedoria usa o Antakarana, quando ele está construído.

O Antakarana é como um filamento de luz espiritual, construído do mesmo modo como a aranha tece sua teia. Esse fio é tecido pelo próprio discípulo, vida após vida, e ele só pode ser energizado por aquilo que contém vibração espiritual. O cordão da consciência tem as qualidades mentais da alma. O Antakarana é construído unicamente com as qualidades mentais e espirituais da alma.

O sutratama e o cordão da consciência vêm sendo construídos desde que o homem chegou ao mundo material. O Antakarana se desenvolve muito lentamente, porque a pessoa precisa trilhar o caminho da experiência para que esse trabalho se inicie realmente. Tanto o sutratama quanto o cordão da consciência trabalham de cima para baixo. O Antakarana, ao contrário, de baixo para cima.

Nos estágios finais da construção desse cordão, na quinta iniciação e ascensão, esses três cordões se fundem, se integram e se dissolvem um no outro, exatamente como a personalidade, a alma e, mais tarde, a Mônada se fundem. É pela criação do Antakarana que todo esse processo se realiza.

Criar o Antakarana é como estender um cabo ou construir uma ponte entre três países, a personalidade, a alma e a Mônada.

A construção dessa ponte se faz em três etapas:

* Na primeira etapa, temos a integração da personalidade com os quatro corpos.
* Na segunda etapa é construída a ponte desde a personalidade integrada e os quatro corpos até a alma.
* Na terceira etapa é feita a construção da ponte desde a alma até a tríade espiritual e a Mônada.

A construção do Antakarana torna a consciência cerebral do discípulo receptiva à orientação intuitiva e às impressões oriundas dos reinos espirituais superiores e da mente de Deus. Ela permite que a alma, antes, e a Mônada, depois, use o discípulo, mais tarde iniciado, para o serviço que elas precisam realizar na Terra.
A personalidade se torna um veículo confiável para o uso da alma em seus propósitos na Terra.

Esse propósito chega ao final na quarta iniciação, quando o corpo da alma ou corpo causal, que armazena todas as virtudes e bom karma, é queimado. Então, o fogo da mônada derrama-se através do Antakarana para a alma, mediadora entre a personalidade e a mônada, e a alma volta à mônada. A alma não é mais necessária e volta a dissolver-se na Mônada. Tudo o que resta então é a personalidade infusa de alma e a mônada, que agora é o guia.

Até esse ponto, o iniciado construiu o Antakarana até a tríade espiritual e a mônada. Embora esse Antakarana construído seja forte, ainda não se realizou uma fusão completa entre a mônada/tríade espiritual e a personalidade infusa de alma. É na quinta iniciação que esses dois aspectos se fundem na consciência. Na sexta iniciação, eles se fundem não somente na consciência, mas também, e completamente, nos quatro corpos (o físico, o emocional, o mental e o espiritual) e toda a personalidade infusa de Mônada e os corpos transformam- se em Luz. O iniciado torna-se um Mestre Ascensionado nesta sexta iniciação.

É o Antakarana, que o discípulo construiu entre a personalidade, a alma e a tríade espiritual/mônada, que possibilitou a realização de todo esse processo.
É também nesse ponto que o sutratama, o cordão da consciência, e o Antakarana se fundem, exatamente como aconteceu com a Mônada, com a alma e com a personalidade.
O resultado dessa fusão é a imortalidade da forma física. Assim como Deus, Cristo e o Espírito Santo são três mentes que funcionam como uma, do mesmo modo, somos três mentes – Mônada, alma e personalidade – que funcionam numa unidade. O microcosmo é igual ao macrocosmo. O espírito e a matéria, o pai e a mãe, são uma coisa só.

O Antakarana é a ponte de Luz ou o caminho iluminado sobre o qual o discípulo passa para os mundos superiores. É por meio dessa ponte e caminho iluminado que ele alcança a libertação e a ascensão.

Essa integração também ajuda a fazer a ligação entre a consciência de Shambala, a consciência hierárquica e a consciência humana. A consciência de Shambala se relaciona com a Mônada e com aspecto vontade. A consciência hierárquica se relaciona com a alma e com o aspecto amor. A consciência humana se relaciona com a personalidade e com aspecto inteligência.

O Mestre, ao realizar essa integração, também ajuda a construir o Antakarana planetário, que é o Antakarana para toda a Terra e para a humanidade.

As Etapas da Construção do Antakarana. Nas etapas iniciais da construção do Antakarana, existem três fios auto criados menores que são criados inicialmente e que constituem o Antakarana.

* O primeiro fio entre o corpo físico e o corpo etérico, e passa do coração para o baço.

* O segundo fio vai do corpo etérico ao corpo astral e passa do plexo solar ao coração e deste ao corpo astral.

* O terceiro fio vai do corpo astral ao corpo mental. Esse fio passa do chakra do terceiro olho para o chakra da cabeça, e daí para o corpo mental.

Esses três fios menores auxiliam a extensão de alma a integrar o sistema de quatro corpos.

A segunda etapa trata da construção do Antakarana desde a personalidade na Terra até a alma. Esse processo também pode ser descrito como a construção de uma mente inferior, a alma e a mente superior. Em outras palavras, podemos chamá-lo de ligação cérebro/mente/alma. Essa ponte é construída com a substância mental.
O estágio de construção da ponte da alma a tríade espiritual e para a Mônada usa a substância de Luz.

A ponte desde a personalidade até a alma cria uma iluminação completa da alma da personalidade na Terra. É nesse estágio que o discípulo se vê como uma alma. Em estágios superiores, o iniciado se vê como espírito ou como a própria mônada. Essa ponte possibilita à personalidade superar todo sentido de separatividade e de medo da morte. A construção do Antakarana tem como objetivo a auto-realização e o serviço em benefício a humanidade.

Seis Passos Para Construção do Antakarana

Os seis passos para a construção do Antakarana são: “intenção, visualização, projeção, invocação e evocação, estabilização e ressurreição”.

1- Intenção- O primeiro passo implica uma compreensão da tarefa a ser cumprida, uma decisão e determinação para cumpri-la e uma orientação correta para atingir o objetivo. Ele também exige que as forças e energias da pessoa convirjam para o ponto mental/espiritual mais elevado que possa ser alcançado e que ali se mantenham. Isso nos lembra “manter a mente firme na Luz”.

2- Visualização- O segundo passo envolve o uso da imaginação e das capacidades de visualização para construir o cordão e a ponte de Luz.

3-Projeção- O terceiro passo envolve a utilização da vontade, ou poder da vontade, e o uso de uma palavra de poder para transmitir essa linha ou ponte de substância de Luz. A ação de enviar uma palavra de poder com o poder da vontade por meio do cordão visualizado, com a mais elevada intenção possível, estende os filamentos do cordão de Luz em direção á tríade espiritual e a Mônada.

4-Invocação e Evocação- Essa invocação feita pelo discípulo atrai agora uma resposta evocativa da tríade espiritual e da mônada. O pai (mônada), operando através do fio criado pelo discípulo, põe-se em movimento para encontrar seu filho (extensão de alma). A mônada, ou Pai do Céu, emite uma projeção de substância de Luz que encontra a projeção criada pelo discípulo na Terra. A projeção inferior e a projeção superior se encontram e o Antakarana é construído. A tensão criada pelo discípulo evoca a atenção da mônada e da tríade espiritual. Com a prática, esse cordão recíproco, ou ponte de energia, torna-se cada vez mais resistente. É uma chama de Luz. Já não existe mais a sensação dos três países separados da personalidade, da alma e da mônada, mas um único ser atuando em todos os planos por esse caminho de Luz.

5-Estabilização- No início, o Antakarana é muito fino e parecido com um fio. Com a prática, a meditação e uma vida espiritual adequada em todos os níveis de ser, formar-se-á um cordão impossível de se romper.

6- Ressurreição- Esse último passo relaciona-se com o fortalecimento do cordão Antakarana, que então conduz a grande fusão e integração da triplicidade e que, na quarta iniciação, tornou-se dualidade. Essa dualidade, na quinta e, finalmente, na sexta iniciação ou ascensão, torna-se unidade, ou unificação total da personalidade infusa de alma e da Mônada que esteve operando por meio da tríade espiritual. Esses dois estados de consciência se integram totalmente na quinta iniciação e se fundem plenamente com o sistema de quatro corpos na sexta iniciação, que é a ascensão ou ressurreição. Os quatro corpos (físico, astral, mental e espiritual) e a personalidade se dissolvem na Luz e se tornam imortais.

Palavras de Poder

A repetição dos nomes de Deus, de palavras de poder e de mantras é tão importante para o desenvolvimento espiritual e para a realização divina. As palavras de poder às quais a pessoa se sente atraída dependem do treinamento espiritual em vidas passadas, do tipo de raio da alma e da Mônada dessa pessoa, da sua preferência individual, da intuição, do sentimento, do tempo de trabalho e da astrologia e numerologia, para citar alguns fatores.

Algumas palavras de poder:

Mantra da Alma ou da Mônada, Elohim, Aum, Om Mani Padme Hum, Eu Sou, Eu Sou O Que Sou, Eu Sou Deus, Eu amo, Adonai (Senhor), So Ham (Eu Sou Deus), El Shaddai (Deus Todo Poderosos), YHWH, Ram, Yod Hay Vod Hay (Pai Divino)

Esses treze mantras, outras palavras de poder que a pessoa já use, também dão resultado.

O objetivo dessa meditação é visualizar um cordão de Luz que comece na personalidade, passe pela alma e suba até a mônada. A pessoa pode visualizar esse cordão com um diâmetro equivalente à circunferência da sua própria cabeça ou, no início, se preferir, menor.

O discípulo deve entrar em sintonia com esse Antakarana, visualiza-lo no olho da mente, e, com intenção plena e o poder da vontade, repetir a palavra de poder, em voz alta, de três a sete vezes, ou durante quinze minutos, como se fosse uma espécie de meditação com mantra. Depois de entoar esse mantra, o discípulo senta; permanecendo em silêncio e em estado receptivo, apenas sentindo a resposta de sua alma ou de sua Mônada, dependendo da etapa em que esteja trabalhando.

Apesar de simples, essa meditação é extremamente poderosa.

O MANTRA DA ALMA OU MONÁDICO

Este mantra foi revelado ao mundo por Djwhal Khul por meio dos escritos de Alice Bailey. Esse mantra ativa a alma e a estrela da alma para a realização do trabalho espiritual. As palavras do mantra da alma são:

Eu Sou a Alma,
Eu Sou a Luz Divina,

Eu Sou Amor,
Eu Sou Vontade,
Eu Sou o Plano Estabelecido.

Talvez os discípulos da quarta iniciação em diante queiram substituir a primeira linha para “Eu Sou a Mônada”, mantendo o restante do mantra exatamente igual.
A única linha desse mantra que as pessoas talvez não entendam é a última; ela se refere ao plano da alma para a encarnação atual.

Segundo Djwhal Khul, esse mantra é o princípio de todas as técnicas ocultas.
Mesmo que o discípulo esteja trabalhando com outro mantra, é bom começar uma meditação recitando o mantra monádico três vezes, e então meditar com o mantra habitual. Ele é como uma ferramenta de ativação que indica à alma e à mônada o momento de entrarem em ação para cumprir sua parte do programa como resposta à invocação.

O Fio Terra

Djwhal Khul advertiu as pessoas que construam o Antakarana não apenas subindo em direção à alma e à mônada, mas também, descendo em direção à base da espinha pelo chakra da coluna e daí à Terra. Alguns metafísicos dão a isso o nome de fio terra. Podemos visualizar esse fio descendo pelas pernas em direção ao centro da Terra ou, se estivermos sentados, como se passasse pela cadeira e entrasse no chão. Como o Antakarana, que sobe pelo canal central, esse também deve ter pelo menos o diâmetro da circunferência da cabeça do discípulo.

O Antakarana depois da Ascensão

É importante compreender que o Antakarana não para de fato na mônada. Na verdade, ele continua subindo em direção à divindade. O Antakarana pode ser projetado na direção de Deus ainda antes da ascensão. O discípulo que medita obterá uma resposta de Deus, e Deus irá ao seu encontro com Seu dedo de fogo e/ou com o fio de substância de Luz. Assim, mesmo os Mestres Ascensionados continuam construindo seus Antakaranas à medida que evoluem nos planos cósmicos de existência.

A Estrela da Alma

A aproximadamente quinze centímetros acima da cabeça, existe uma estrela etérica de Luz. Ela paira sobre a cabeça de cada habitante da Terra. O brilho dessa estrela depende muito do nível evolutivo da extensão de alma na Terra. A estrela da alma não é a alma, mas a sua extensão, um instrumento por meio do qual ela trabalha.

Essa estrela é ativada quando recitamos o mantra da alma. É muito importante compreender a estrela da alma para se ter condições de realizar as demais meditações de Djwhal Khul. No momento em que recitamos o mantra da alma, essa estrela se acende e passa a brilhar como uma estrela resplandecente, pronta para iniciar seu trabalho, desde que seja um trabalho a serviço da alma.

Depois de entoar o mantra da alma, a estrela da alma obedecerá ao pensamento e a visualização criativa e poderá mover-se, expandir-se, contrair-se ou enviar raios de energia para a personalidade. A compreensão, a ajuda e o uso da estrela da alma serão absolutamente incalculáveis para a construção do Antakarana e para todas as outras áreas de vida.

O Canal Central

O canal central é um termo que se refere à coluna de energia que vai da base da espinha até o topo da cabeça. Às vezes chamado de chakra da coluna, ou sushumna, e é uma parte componente do sutratama. Uma das práticas mais importantes do caminho espiritual é a ampliação do canal central e a limpeza de todos os detritos psíquicos. Em termos ideais, o canal central pode ser ampliado até transformar- se numa coluna de luz com as dimensões da circunferência da cabeça do discípulo. O canal central da maioria das pessoas é um tubo muito estreito e entupido, como o encanamento de um banheiro que não funciona direito.

As três meditações a seguir, transmitidas por Djwhal Khul, tem por objetivo abrir e limpar o canal central e também construir o Antakarana. É por meio do Antakarana e do canal central que a alma e as energias espirituais podem fluir. Um Antakarana e um canal central amplos, limpos e bem estruturados permitem que a pessoa seja preenchida pela Luz do espírito no seu menor pedido.

Depois de entoar o mantra da alma, é também muito interessante perceber que ela e a mônada executam metade do trabalho. A primeira meditação de Djwhal Khul é a meditação de triangulação.

Meditação de Triangulação

1- Recite o mantra da alma três vezes enquanto se concentra na estrela da alma como uma estrela ou um sol brilhante.

2- Depois de recitar o mantra da alma três vezes, com o poder da mente e da imaginação mova a estrela da alma diagonalmente até posicioná-la a uma distância de 30 centímetros à frente do terceiro olho. Em seguida, recue a estrela da alma em linha reta, até o centro da cabeça, fazendo-a entrar no canal central e no chakra da coluna. Pelo canal central, leve a estrela da alma para cima, parando 15 centímetros acima da cabeça, na posição em que ela estava inicialmente. Mova a estrela lenta e deliberadamente em seu deslocamento para cima. Enquanto se movimenta, a estrela da alma queima, literalmente, as formas-pensamentos ocultas e os detritos psíquicos. Esse trabalho é um esforço de cooperação entre a personalidade e a alma, que utiliza a estrela da alma como instrumento. A alma se enche de entusiasmo, quando tem oportunidade de trabalhar com você dessa forma.

3- Repita esse mesmo processo de criação do triângulo com o terceiro olho mais uma vez.

4- Repita o procedimento; agora, porém, crie um triângulo descendo até o chakra da garganta. Execute esse processo duas vezes para o chakra da garganta.

5- Faça a mesma coisa para os chakras do coração, do plexo solar, do sacro da raiz, dos joelhos, das solas dos pés e para a estrela da Terra que está a uns 30 centímetros abaixo da superfície da Terra. Faça a triangulação duas vezes para cada centro. Pronto, a meditação está terminada.

Essa meditação ajudará alimpar o canal central e a começar a construir seu Antakarana. Terminada a meditação, e depois de trabalhar com ela durante algum tempo, sugiro que você dê mais um passo: forme um triângulo até a alma, que está acima da estrela da alma. Essa parte da meditação trabalha na construção do Antakarana até a alma e da menos atenção ao canal central. Se julgar oportuno, você pode também construir um triângulo até a sua Mônada ou até a Poderosa Presença Eu Sou. Sugiro que você faça cada triângulo três vezes e que, ao terminar, recite o seu mantra ou sua palavra de poder, ao mesmo tempo em que visualiza o Antakarana e mantém a mente firme na Luz. Num certo sentido, ao fazer isso, você está fazendo a fusão da primeira meditação com essa segunda meditação de triangulação.

Vídeo no YouTube
Meditação de Trinagulação nos chakras, visualização completa
(a palavra Trinagulação está escrito errada mesmo)

Meditação do Redemoinho Espiritual

A aura da maioria das pessoas (corpos etérico, astral e mental) está cheia de detritos psíquicos, formas-pensamento negativas e energia estagnada. O objetivo da meditação a seguir é eliminar do seu campo áurico todo esse material indesejado. Além de provir de sua vida diária normal, parte desse material é sobra da meditação de triangulação, que você acabou de fazer.

A meditação de triangulação retirou os detritos do seu canal central, mas provavelmente jogou certa quantidade deles em sua aura. Há um processo muito simples que a alma utiliza para limpar esse refugo psíquico; ele recebe o nome de meditação do redemoinho espiritual.

Essa meditação consiste em visualizar um vórtice espiritual ou um redemoinho descendo da alma. Visualize-o como um tornado, com a forma de um funil. Este redemoinho espiritual é formado pela substância energética mais refinada da alma. Embora você o visualize com a mente; esse vórtice espiritual é uma realidade psíquica viva da alma. Se você for clarividente, poderá vê-lo e observa-lo descendo da alma, se o tiver invocado.

O tubo do seu funil e redemoinho espiritual está no Antakarana, descendo ele recolhe as partículas mais pesadas dos detritos psíquicos. Deixe que a alma decida com que tamanho, cor e velocidade ela quer se deslocar. A ideia é fazer com que esse redemoinho desça pelo chakra da coroa e de uma oitava inferior, e vá arrastando todo esse material para as profundezas do centro da Terra. Aí ele se livra do entulho, cessa seu movimento e se dissipa.

Crie um redemoinho espiritual bem amplo, de modo a abranger o corpo físico e todo o corpo áurico. Quando o redemoinho espiritual ganha força e poder, ele não precisa mais da direção da personalidade. Nesse ponto a alma e a estrela da alma estão fazendo o trabalho. Invoque um novo redemoinho espiritual sempre que você queira purificar-se. O redemoinho espiritual inicial perde sua energia quando entra na Terra e descarrega os restos psíquicos.

Recomendo que você invoque de três a sete redemoinhos espirituais todas as vezes que praticar essa meditação. Recomendo também praticá-lo no início do dia, depois do trabalho e antes de dormir, para manter-se purificado. Quero acrescentar que faz parte do trabalho da Terra promover a limpeza desse tipo de sujeira ou energia negativa. Não estamos de forma alguma poluindo a Terra por trabalhar com ela dessa forma. Ela fica muito feliz por poder servir desta maneira.

Para invocar seu redemoinho espiritual, basta seguir estes passos:

1- Repita três vezes o mantra da alma.

2- Visualize o redemoinho espiritual bem alto acima da cabeça, com a ponta do funil no Antakarana, e diga: “Na sabedoria de minha alma, invoco meu vórtice espiritual”.

3- Apenas observe ou visualize o redemoinho descendo através do seu campo e, em seguida, para a Terra.

4- Chame e invoque tantos redemoinhos espirituais quantos você necessitar, até sentir-se desobstruído. Normalmente, três a cinco minutos são mais do que suficientes. Se você se sentir desnorteado ou se estiver passando por uma crise emocional ou psicológica, esse processo pode ser extremamente útil. Essas são técnicas simples pelas quais a alma e/ou o eu superior podem ajudá-lo.

Meditação do Saca-rolha para Ampliar o Canal Central

Nas duas primeiras meditações, purificamos o canal central e limpamos o campo áurico dos detritos psíquicos. O objetivo dessa última meditação de Djwhal Khul é alargar o canal central, de modo que ele chegue às dimensões da circunferência da cabeça. O canal central da maioria das pessoas é um tubo muito estreito e fino, o que limita a quantidade de Luz e de energia que possa descer da alma e da mônada.

Dispomos de uma meditação muito simples para dilatar o canal central. Ela se assemelha a meditação de triangulação, com a diferença de que usa apenas um triângulo em vez de vários. Depois de recitar o mantra da alma, crie um triângulo que desça até a estrela da Terra, sob os pés, como na meditação de triangulação.

Ao começar a mover a estrela da alma para cima, visualize-a como um saca-rolha girando no sentido horário, subindo pelo canal central, e voltando à posição da estrela da alma, 15 centímetros acima da cabeça. Seu canal central deve medir pelo menos 2,5 centímetros, mas que é preferível que ele tenha a largura da cabeça.

No início, talvez você prefira uma medida intermediária entre essas duas enquanto trabalha para ampliá-lo o máximo possível. Nesse sentido, use o seu discernimento e intuição. Recomendo que pratique esta meditação duas vezes por dia, durante três semanas, tempo necessário para se criar um hábito. Uma vez ampliado o canal central, você está pronto definitivamente.

O Mestre Ascencionado Djwhal Khul descreveu esta meditação como segue:

1- Recite o mantra da alma em voz alta.

2- Recite o mantra da unificação que está a seguir:

Os filhos dos homens são um, e eu sou um com eles.
Eu quero amar, não odiar.
Quero servir, não ser servido.
Quero curar, não ferir.
Que a dor traga a merecida recompensa de Luz e de amor.
Que a alma controle a forma externa da vida e tudo o que acontece. E traga a Luz o amor que está na base de todos os eventos.
Que a visão e a intuição se manifestem.
Que o futuro se revele.
Que a união interior se evidencie e as divisões exteriores se dissolvam.
Que o amor prevaleça.
Que todos os homens amem.

3- Construa um grande triângulo que desça até a estrela da Terra.

4- Faça a estrela da alma subir sob a forma de um saca-rolhas, movendo-se no sentido horário, ampliando seu canal central até a dimensão desejada.

5- Finalize a meditação, recitando a Grande Invocação:

Do ponto de Luz na mente de Deus,
Flua Luz a mente dos homens.
Que a Luz desça sobre a Terra.

Do ponto de Amor no coração de Deus,
Flua Amor ao coração dos homens.
Que Cristo retorne à Terra.

Do centro onde a Vontade de Deus é conhecida,
Guie o propósito as pequenas vontades dos homens-
O propósito que os Mestres conhecem e a que servem.

Do centro que chamamos de raça dos homens,
Realiza-se o Plano de Amor e Luz,
E possa ele selar a porta onde habita o mal.

Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano sobre a Terra.

Fonte: http://portalascensional.wetpaint. com/page/ Antakarana? t=anon

 

 

Mestre Djwal Kull

FB – Portal Reiki Master

 

Page 1 of 13

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén