chakrasA palavra Chakra, vem do sânscrito e significa roda, disco ou centro. Pode ser encontrado na literatura também com o nome Chacra. Algumas pessoas dotadas de clarividência afirmam que podem vê-los e os descrevem como vórtices, redemoinhos que giram em alta velocidade e por onde absorvem e distribuem energia “prana” através dos canais “nadis” que nutrem órgãos e sistemas.
Os Vedas (5.000 a.C.) contêm os mais antigos registros sobre chakras, que se têm notícia. No Oriente eles são conhecidos pelos nomes escritos em Sânscrito. No Ocidente conhecemos os chakras principalmente por ordem numérica ou pelo centro físico onde ele se encontra. São amplos, brilhantes e translúcidos.
Seu tamanho pode variar de pessoa para pessoa, medindo entre 5 e 10 centímetros e 20 em pessoas mais desenvolvidas espiritualmente. Em pessoas muito materialistas, com baixa vibração, eles podem ser mais escuros, opacos e menores.
São sete os principais chakras, dispostos desde a base da coluna vertebral até o alto da cabeça e cada um corresponde à uma das sete principais glândulas do corpo humano. Cada um destes chakras está em estreita correspondência com certas funções físicas, mentais, vitais ou espirituais. Num corpo saudável, todos esses vórtices giram a uma grande velocidade, permitindo que a “prana”, flua para cima por intermédio do sistema endócrino. Mas se um desses centros começa a diminuir a velocidade de rotação, o fluxo de energia fica inibido ou bloqueado – e disso resulta o envelhecimento ou a doença.
Os chakras são conectados entre si por uma espécie de tubo etérico (Nadis) principal chamado “Sushumna”, ao longo do eixo central do corpo humano, por onde dois outros canais alternados “Ida” que sai da base da espinha dorsal à esquerda de Sushumna e “Pingala” à direita. Os Nadis conduzem e regulam a “Prana” (energias yin e yang) em espirais concêntricas. Estes Nadis são os principais, entre milhares, que percorrem todo o corpo em todas as direções, linhas, meridianos e pontos. Em algumas representações eles são vistos como uma flor de lótus, cheia de pétalas. Em escritos antigos encontramos menção de mais de 88 mil chakras espalhados pelo corpo.
Para os hindus os Nadis são sagrados, é por meio da “Sushumna” que o yogi deixa o seu corpo físico, entra em contato com os planos superiores e traz para o seu cérebro físico a memória de suas experiências. Cada chakra vibra com uma determinada cor, uma frequência e um som que pode ser um mantra ou nota musical, também pode se relacionar a um elemento da natureza (terra, ar, água, fogo e éter).
O primeiro e o sétimo são simples, tendo apenas uma saída para baixo e outra para cima, os outros cinco tem um vórtice na frente e outro correlacionado atrás do corpo.
Cada chakra está ligado a um determinado órgão do corpo. A partir do momento que você conhecer melhor os chakras e puder senti-los, poderá analisar como a pessoa lida com as situações da vida, pois cada um revela o estado emocional vivido pelo individuo.