escalando

(por John Veltheim)

Viver versus existir – Quantas vezes durante estes últimos trinta anos de desenvolvimento pessoal me perguntei a razão de estar envolvido em tudo isso?

O conceito geral de crescimento pessoal parece, em muitas ocasiões, ser um exercício de masoquismo. Sempre nos confrontando e aos nossos sistemas de crenças; reconhecendo nossas limitações; consertando e reavaliando nossos relacionamentos, etc., etc., etc. … a busca da alma emocional, espiritual, física e financeira e cuidando todos com freqüência para a parte mais negra de nossa composição.

A pergunta que surge é: “- Por que não esquecer tudo isso e simplesmente levar a nossa vida diária fazendo as coisas que as pessoas normais fazem, como todas aquelas pessoas que se vê na TV?”

Há duas respostas principais:

A maioria de nós que está buscando e desenvolvendo não tem escolha. Nascemos com um estado de espírito que nos impele para a busca. Esta força compulsiva está se tornando mais comum enquanto a mente humana e a psique evoluem bem acima do conceito de serem utilizadas para a existência. A psique média agora não se contenta mais em simplesmente “existir”. Que viver numa interação dinâmica com o nosso meio ambiente.

A fim de vivermos com dinamismo a forma de vida que utilizamos, devemos desalojar as obstruções para esta interação dinâmica. Isto inclui o “fabrico” da existência que nós, a raça humana, aceitávamos como “normal” até bem pouco tempo. Os fios típicos no “fabrico” são os sistemas de crenças culturais, conservados a longo tempo ao redor – isolacionismo, preconceito, chauvinismo, orgulho e uma lista sem fim.

Por haver mantido este “fabrico” distorcido e torcido em nossa forma de viver, e porque agora estamos nos dirigindo para o querer viver interagindo, – nós somos forçados a confrontar estas atitudes e sistemas de crenças e a lidar com eles. Quando não lidamos com eles de maneira apropriada, saímos do equilíbrio e terminamos sofrendo – na saúde, emoções, relacionamentos, espiritualmente e financeiramente. Muitas vezes é este sofrimento que nos leva a assistirmos seminários ou ler livros que nos ajude em nossos caminhos.

A segunda razão pela qual nós fazemos tudo isso é porque interiormente sabemos que “existir” dia a dia é uma forma torpe de viver. Quando olho para trás, de forma objetiva, uns dez anos, verifico com rapidez o quanto já caminhei. Ao invés de viver uma vida controlada por pessoas ao meu redor, meu trabalho, minha saúde, meus conceitos limitados, crenças e atitudes, estou agora sempre, de modo crescente, ciente das possibilidades de vida e das alegrias enormes, diárias que posso experienciar da vida e de tudo que faço.

A conscientização crescente equipara-se ao escalar de uma montanha. Quanto mais alto se vai, mais além se enxerga. Quanto mais distante se avança em seu próprio crescimento pessoal, mais capacitado se fica para ver seu próprio potencial em relação a Alegria sem limites em sua vida. É claro, a conscientização crescente pode também fazer que se enxergue os próprios defeitos com mais facilidade, mas esta mesma conscientização fornecerá as ferramentas necessárias para corrigí-los, desta maneira podendo focalizar sobre a Alegria.

As se fazer REIKI por qualquer razão, a pessoa é iniciada em uma freqüência de energia mais alta. Falando com simplicidade, foi dado um grande empurrão para a escalada da montanha da conscientização. Esta conscientização crescente atrairá mudanças em sua vida enquanto seu corpo tentará libertar-se do “fabrico” restritivo da existência sem dinamismo.

É interessante como as pessoas escolhem, com freqüência, tornar as mudanças difíceis para si mesmas, porque não utilizam as ferramentas que são ofertadas para suavizar a estrada.

A interação dinâmica com o meio ambiente pode ser resumida numa palavra: HARMONIA. Quando vivemos em harmonia, estamos vivendo com Alegria, conscientização, amor e paz.

A função primária da Força de Vida Universal em partículas subatômicas é inter-atuar constantemente entre todos os átomos do Universo para mantê-lo em estado constante de Desenvolvimento Harmônico em sua vida!

O REIKI é, contudo, mais do que uma ferramenta. Como já foi mencionado anteriormente neste artigo, quando se é Iniciado no REIKI, sua vibração energética eleva-se. Significa que se for usado ou não como ferramenta, mudanças na sua vida continuarão a ocorrer, por causa da crescente conscientização. Quando olhamos para as pessoas que fizeram o REIKI há uns anos atrás e escolheram não utilizá-lo regularmente, é óbvio, assim mesmo, que ocorreram mudanças. Podem ter sido atraídos por um caminho espiritual diferente ou estudo de vida que provavelmente não teria acontecido se não tivessem sido Iniciados dentro de uma conscientização maior que os capacitaria a enxergar a possibilidade.