sacagaweaA importância de uma mulher indígena numa expedição de exploração de terras, foi crucial para a passagem livre do grupo pelas terras indígenas no Oeste Americano. Por ser mulher e saber falar duas línguas indígenas diferentes, garantiu que Lewis e Clark , exploradores a serviço do Presidente Thomas Jefferson, mapeassem aquelas terras sem o risco de serem atacados pelos índios locais. Além de falar as línguas nativas, Sacagawea, também conhecia bem o terreno e sabia onde encontrar alimento e remédios através das plantas.
Sacagawea era casada com um franco/canadense de nome Toussaint Carbonneaut e teve dois filhos com ele, o primeiro de nome Jean-Baptiste, um menino que ela deu à luz dois meses antes da jornada e uma menina de nome Lizette, alguns anos mais tarde. Sacagawea ficou com a saúde fragilizada após o nascimento de Lizette e morreu com febre muito alta. Em alguns documentos há indícios de que foi febre Tifoide. Não há muitos relatos sobre sua família, sabe-se que seu filho foi entregue ao explorador Clark que cuidou dele e lhe deu educação, quanto a Lizette, não há relatos.
Sacagawea teve reconhecimento pelos serviços prestados muito depois de sua morte o que demonstra o grau de importância que ela teve. Erigiram estatuas dela e deram seu nome a uma montanha no Oregon, O Pico Sacagawea. Também são feitas peças de teatro, filmes, documentários e músicas. O filme é “Aventura Sangrenta”, muito difícil de encontrar no Brasil. Outro filme que faz referência a ela é “Uma Noite no Museu”.