earhartincockpitAmélia Earhart (1897-1937) foi pioneira norte-americana na aviação dos Estados Unidos. Foi defensora dos direitos das mulheres e a primeira mulher a pilotar sozinha pelo oceano Atlântico. Sempre mostrou comportamento não muito convencional, não aceitando os ditames da educação tradicional, começou a estudar quando já tinha 12 anos. Amélia já gostava de aventuras desde a infância, quando usava uma rampa que parecia uma montanha russa, construída pelo tio Earhart.

Foi enfermeira da Cruz Vermelha, em Ontário, Canadá, para ajudar no tratamento dos soldados feridos da Primeira Guerra Mundial. Foi professora, assistente social e diziam que fazia suas próprias roupas. Após ter ficado famosa, montou uma grife com seu nome, inclusive de bagagens para viagem.

Ao aceitar o cargo de editora associada da revista “Cosmopolitan”, vislumbrou a oportunidade de angariar a aceitação pública para a aviação, promovendo especialmente a entrada das mulheres nesse campo. Sua primeira experiência em voo foi em Long Beach, quando começou o curso com a professora Anita Neta Snokk (outra pioneira na aviação) em 1921. Voou uma altitude de 14.000 pés. Foi a 16º mulher a obter licença de voo pela Fédération Aéronautique Internationale (FAI).
Em 1925, mudou-se para Boston. Fez parte da Associação Nacional de Aeronáutica. O jornal “Boston Globe” considerou-a como uma das melhores pilotos dos Estados Unidos.
Em 1928, O editor nova-iorquino George Putnam organizou uma viagem em torno do Oceano Atlântico para que Earhart fosse a primeira mulher a realizar o feito, mesmo sendo somente como passageira. Em 1932, realizaria o voo sozinha.
Em 1935, Earhart, empreendeu voo ao redor do mundo sozinha, mas não concretizou a aventura. Tentou novamente em 1937 aos 39 anos, quando partiu de Costa Rica, passou pela América do Sul e África, de onde partiu até a Austrália, quando já tinha voado cerca de 22.000 milhas (35.420 km). Fez seu último contato no dia 2 de julho de 1937 e nunca mais seu corpo e vestígios do avião foram encontrados, embora em sua busca, o governo americano tenha enviado 66 aviões e 9 navios.
Veja AQUI a ultima filmagem de Amélia antes da sua partida fatídica.
Em 1991, pesquisadores encontraram na Ilha de Nikumaroro, na república de Kiribati, um pedaço de aeronave semelhante ao modelo que Amélia Pilotava. Após analises da peça que mede aproximadamente 60 cm, eles estão afirmando que é realmente do avião de Amélia.
Em 2015 a empresa International Group for Historic Aircraft Recovery (TIGHAR) faria uma expedição para a Ilha Nikumaroro para maiores pesquisas. Até o momento não temos mais notícias sobre isso.